Saltar os Menus

Notícias

8 de Junho de 2018

Seia acolheu o 1º Encontro de Redes Intermunicipais de Bibliotecas Públicas

Realizou-se no passado dia 5 de junho, em Seia, o 1º Encontro de Redes Intermunicipais de Bibliotecas Públicas. Numa organização conjunta da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), da Câmara Municipal de Seia e da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, em colaboração com a Universidade da Beira Interior e o Instituto Politécnico da Guarda, este Encontro teve por objetivo dar a conhecer as redes intermunicipais de bibliotecas já existentes em Portugal e incentivar a criação de novas redes de bibliotecas deste âmbito territorial.

Para além dos representantes das entidades organizadoras, participaram também no encontro representantes do Gabinete do Ministro da Cultura, da Rede de Bibliotecas Escolares e de várias Comunidades Intermunicipais e Municípios do País.

Os representantes das oito redes intermunicipais de bibliotecas já formalmente constituídas apresentaram o seu historial e modelo de organização, os projetos desenvolvidos e em curso, bem como as dificuldades encontradas e os resultados já alcançados. Foram assim apresentadas as seguintes redes: Rede das Bibliotecas Municipais do Médio Tejo, Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela, Rede de Bibliotecas de Leitura Pública do Cávado, Rede Intermunicipal de Bibliotecas do Alentejo Central, Rede Intermunicipal de Bibliotecas do Oeste, Rede Intermunicipal de Bibliotecas da Região de Coimbra, Rede de Bibliotecas da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro e Rede Intermunicipal de Bibliotecas do Baixo Alentejo.

No âmbito da sua nova estratégia de incentivo à constituição de redes intermunicipais de bibliotecas públicas, assente num contacto direto com as Comunidade Intermunicipais mas de trabalho de proximidade com os Municípios e os bibliotecários, a DGLAB apresentou neste encontro as linhas do seu Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Serviços das Bibliotecas Públicas, a que se poderão candidatar Comunidades Intermunicipais com redes de bibliotecas já constituídas. O programa contempla cinco linhas de ação distintas: Bibliotecas Itinerantes, Coleção, Tecnologias da Informação e Comunicação, Formação profissional e Promoção da Leitura e das Literacias. As taxas de financiamento para os diferentes eixos variam entre o 50% e os 100%.

Este Programa tem como objetivo afirmar, junto das comunidades, o papel das bibliotecas públicas municipais, reforçando a sua função de equipamentos de proximidade com diferentes valências: culturais, informativas, formativas e de cidadania. O Programa pretende contribuir para a atração de novos públicos, com diferentes necessidades e interesses, e para o aumento da utilização dos recursos e serviços das bibliotecas públicas, rentabilizando assim a qualidade dos equipamentos instalados e o investimento realizado ao longo de três décadas, bem como valorizar os serviços de biblioteca pública já prestados às populações.

Pretende-se intervir através e em cooperação com as Comunidades Intermunicipais e Áreas Metropolitanas, dando prioridade às regiões com menor cobertura de serviço de biblioteca pública, ou cujos indicadores de desempenho das bibliotecas existentes sejam mais frágeis. Tendo sempre em atenção a sustentabilidade dos serviços e a racionalidade da gestão dos recursos envolvidos, é também objetivo deste programa contribuir para a redução das desigualdades e das assimetrias nacionais, como forma de valorização e desenvolvimento dos territórios mais periféricos e das suas comunidades, também pela intervenção das bibliotecas públicas.

Desde a origem da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, no final da década de 80, foi sendo sublinhada a importância do trabalho em rede e a necessidade de promover o trabalho colaborativo entre as várias bibliotecas municipais, no sentido de se otimizarem os recursos disponíveis e potenciarem os serviços oferecidos às populações. Porém, fruto da organização administrativa do território, assente numa estrutura eminentemente municipal, foram sempre reconhecidamente incipientes os resultados do trabalho das poucas de redes de bibliotecas que abrangiam vários municípios de uma mesma região. Após a criação das Comunidades Intermunicipais, em 2013, foram sendo constituídos grupos de trabalho de bibliotecários, cujo esforço a DGLAB foi apoiando e incentivando, e que foi dando origem a redes intermunicipais de bibliotecas que têm vindo a revelar-se um bom modelo e exemplo de trabalho colaborativo entre bibliotecas.

No debate que marcou o encerramento das apresentações, vários participantes destacaram que no decorrer nos trabalhos ficou patente que as bibliotecas públicas estão agora verdadeiramente a trabalhar em rede, pelo que o 1º Encontro de Redes Intermunicipais de Bibliotecas Públicas constituiu um marco importante na história das bibliotecas públicas portuguesas.

CIMBSE

Esta notícia foi publicada em 8 de Junho de 2018 e foi arquivada em: Eventos.
DGLAB